antoniocruz

Alianças partidárias: um critério decisivo para o voto?

Em conversas com familiares e amigos sobre as eleições em curso, deparei-me com vários questionamentos sobre as alianças formadas pelo PT no governo Lula e para a eleição de Dilma Roussef. Senti, na ocasião, que eleitores com forte perfil progressista estavam desapontados por verem o Partido dos Trabalhadores transigir com personalidades que simbolizam o atraso no Brasil.
Sobre o tema, suscitei, como de fato suscito, a seguinte questão: como conquistar mais da metade do eleitorado e governar um país tão complexo como o nosso sem construir um leque relativamente amplo de alianças?
Ao analisar a questão não se pode perder de vista as peculiaridades do nosso querido país. Somos quase 200 milhões de brasileiros, sendo mais de 130 milhões de eleitores, espalhados por uma imensa área territorial. Cada região, cada Estado apresenta uma história e uma tradição cultural muito própria. No mesmo sentido, a complexidade da vida econômica, social, cultural e religiosa resulta na formação de grupos com interesses e visões de mundo bastante distintos entre si.
Nesse cenário, nenhuma agremiação partidária conseguiria sozinha – com um discurso e um projeto exclusivistas – eleger-se e governar o Brasil. São necessárias, portanto, coalizões e união de forças em torno de um consenso mínimo e de um projeto comum de nação. E nada mais democrático do que isso! Autoritário e antidemocrático seria um grupo político específico tentar impor aos demais sua visão particular de mundo. A verdadeira democracia exige a construção de consensos por meio da negociação e do diálogo.
Outro fato que impõe, inexoravelmente, a formação de alianças mais amplas refere-se às deformações dos sistemas partidário e eleitoral brasileiros. No país, o espectro partidário conta com mais de 25 (vinte e cinco!!!) agremiações, que ocasiona uma representação pulverizada no […]

Recorde de novos empregos no 1º trimestre 2010: teriam feito mais?

“Recorde: Brasil cria mais de 657 mil novos empregos no 1º trimestre. Mais de 266 mil só em março. (mais…)

A Integração latino-americana frente os desafios de um Desenvolvimento Ecologicamente Sustentável

Neste início de milênio, a necessidade de um crescimento equilibrado e compatível com a disponibilidade dos recursos naturais tem se imposto como ponto central da agenda mundial. Até então, as principais lideranças políticas e empresariais do Ocidente vinham negligenciando o tema. Contudo, consistentes estudos científicos e os recentes sinais dados pelos fenômenos naturais evidenciam a imperatividade de alteração dos paradigmas de crescimento até então preponderantes. (mais…)

Fórum Mercosul – FOMERCO

Estará ocorrendo na cidade de Aracajú/SE, entre os dias 12 e 14 de setembro, o VI Encontro Internacional do Fórum Universitário do Mercosul (FoMerco), com o tema “Os Novos Rumos do Mercosul”.                                   (mais…)

Os Laboratórios Oficiais como alternativa ao atual modelo da Indústria Farmacêutica

Os medicamentos e as vacinas, quando racionalmente ministrados, possuem relevante papel para o aprimoramento da qualidade de vida do homem: seja como elemento de prevenção ou de cura de doenças, seja como meio de redução dos sofrimentos por elas causados. Isso é óbvio, indiscutível, e não necessita de maiores considerações: apenas as fiz para introduzir o tema principal deste texto: a forma equivocada como está estruturada atualmente a indústria farmacêutica e o modelo dos Laboratórios Oficiais como alternativa de atendimento medicamentoso da população de baixa renda no Brasil. (mais…)

Debate na UFPE: Mundialização da Economia e Inovação Tecnológica.

A inovação tecnológica representa a principal determinante do desenvolvimento econômico. Os países mais avançados são os que, décadas atrás, decidiram intensificar os esforços nacionais na difusão do conhecimento e na consolidação de sua base científica, cheap viagra canada e, hoje, figuram na fronteira do processo inovativo. (mais…)