No Brasil, é amplo o consenso acerca da necessidade de alteração do conjunto de leis que define nossos governantes. Tal consenso, entretanto, contrapõe-se à grande divergência sobre qual modelo deve substituir o atual. O segundo estudo do Instituto Alvorada apresenta uma alternativa para a discussão.